Delegado Francischini cobra apuração em morte de estudante brasileira na Nicarágua


O líder do PSL na Câmara dos Deputados, Delegado Francischini (PR), aponta que o governo do presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, fez mais uma vítima: a estudante brasileira de medicina Raynéia Gabrielle Lima, 30, que foi assassinada por milícias a mando do Governo nicaraguense.

“O Presidente da Nicarágua, esquerdista, queridinho do Foro de São Paulo, Daniel Ortega, fez mais uma vítima. Desta vez, a estudante brasileira Raynéia Gabrielle Lima, que foi assassinada por milícias a mando do Governo de Ortega. Amigo de Lula, Dilma, Gleisi, esse Ortega está massacrando seu próprio povo. Já são mais de 350 mortos na onda de repressão que toma conta do país. A Raynéia foi atingida por disparos feitos por um grupo de homens que saía da casa do tal Francisco López, que é o tesoureiro da Frente Sandinista de Libertação Nacional , o partido do Governo, membro do Foro de São Paulo, junto com o PT e esses partidecos de esquerda. Aposto que o Ortega vai dizer que “não sabe de nada” e a esquerdalha daqui não vai dar um pio”, aponta Francischini. “Nossas condolências à família desta jovem e exigências que o Governo Brasileiro apure e se posicione, condenando as ações deste Governo terrorista. Basta desta esquerda corrupta e anti-democrática!”, completa.

Raynéia foi morta nesta segunda-feira (23) no sul da capital da Nicarágua, onde cursava medicina. O assassinato da brasileira ocorre durante uma crise sociopolítica no país, com manifestações contra Ortega – que está no poder desde 2007 em meio a acusações de abuso e corrupção. De acordo com a Associação Nicaraguense de Direitos Humanos, mais de 350 pessoas já morreram, entre elas, muitos estudantes.