Prisão de Lula aumenta viagens de assessores de Gleisi para Curitiba. Tudo pago pelo Senado, claro


A prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva elevou o gasto com passagens e hospedagem de assessores da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) para Curitiba. De janeiro a março, essas despesas estavam em apenas R$ 1,3 mil. A partir de abril, já somam R$ 11 mil. Tudo pago com dinheiro público, pelo Senado Federal. As viagens dos assessores coincidem com visitas da presidente do Partido dos Trabalhadores e de lideranças políticas nacionais e internacionais a Lula na capital da Lava Jato. Todas elas foram registradas pela assessoria da senadora nas redes sociais.

A sede da Polícia Federal em Curitiba, onde o ex-presidente está preso desde 7 de abril, transformou-se em espaço para comícios, vigílias e até mesmo de reuniões de trabalho na cela do candidato do PT a presidente da República. Ao deixar o prédio, no dia 21 de julho, questionada sobre a visita, na companhia do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), Gleisi deixou claro qual foi o motivo do encontro.

Informações: Gazeta do Povo.

Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula.